Pedra do Baú

É um dos lugares mais visitados pelos turistas e fica no bairro do Paiol Grande, a 12 km da cidade. Chamava-se Pedra do M' Baú, depois Embaú e finalmente Pedra do Baú. Lá de cima é possível avistar o Vale do Paraíba e Sul de Minas. Ela é avistada de algumas cidades do Vale do Paraíba, tendo Taubaté recebido esse nome por causa da Pedra: TABA ITA, "Lugar de onde avista-se a Pedra".

Pólo excursionista do Estado de São Paulo, a Pedra foi escalada pela primeira vez pelos irmãos Antônio e João Cortez, que construíram duas escadas. A primeira iniciada do lado do bairro do Baú, em 1943 e concluída em 1945, tem 602 degraus. A segunda, foi construída do lado do Paiol Grande com 497 degraus, sendo 268 na própria perda e 229 de ferro.

A partir de então, este conjunto rochoso vem tomando cada vez mais importância entre os locais de prática de esportes radicais como alpinismo, montanhismo, vôo de asa-delta e paraglyder (paraquedismo de montanha).

Devido às condições climáticas, as rampas do maciço são consideradas as melhores do Estado para vôo livre, e as paredes do complexo do Baú, são as principais para a prática do alpinismo. Os montanhistas podem utilizar-se das duas escadas existentes para atingir seu cume, que é um dos campos de altitude da região da Serra da Mantiqueira. No alto dos seus 2050m de altitude e 330m de altura, se encontram as ruínas do primeiro abrigo de montanha do Brasil, construído na década de 50 pelos irmãos Cortes, com a ajuda do empresário Luiz Dummont Villares. Do topo da montanha, pode-se também avistar cidades do Sul de Minhas e Vale do Paraíba.

Alguns trechos foram tirados do Trabalho de Graduação de Rosa Kasue Saito, sobre Diretrizes para o desenvolvimento Turístico de São Bento do Sapucaí.