Via Perimetral Governador Mário Covas Junior

Através do Projeto Lei nº 05, do ano de 2012, assinado por todos os Vereadores, fica denominada Via Perimetral Governador Mário Covas Junior a via pública localizada no Bairro do Serrano2.

Lei  1536 de 14 de março de 2012.

Mário Covas Junior nasceu em Santos, em 21 de abril de 1930. Filho de um português com uma espanhola: Mário Covas e Arminda Carneiro Covas. Na época de colégio ganhou o apelido de Zuza.

Aos 16 anos em sua cidade natal, conheceu Florinda Gomes, a Lila, e se casou com ela em 1947. Tiveram 3 filhos: Renata, Mário e Silvia (que faleceu num acidente de moto no Reveillon).

Em 1947 foi estudar química industrial na escola Técnica Bandeirantes. Formou-se em engenharia em 1955, e nessa época teve intensa militância política, sendo vice Presidente da UNE (União Nacional dos Estudantes). Trabalhou como engenheiro na Prefeitura de Santos, como concursado, até o ano de 1962.

Em 1961, com o apoio de Jânio Quadros, disputou a eleição para a prefeitura de santos pelo Partido Social Trabalhista, onde obteve 22.369 votos, ficando em segundo lugar. Em 1962 foi eleito deputado com 31.100 votos, e foi escolhido vice líder do PST na Câmara. Com a eleição indireta de Castelo Branco, em 1964, Covas em protesto, votou no marechal Juarez Távora, que concorria ao cargo, neste mesmo ano, tornou-se líder do PST.

Com a extinção do pluripartidarismo, devido ao Ato Institucional 2, Covas filiou-se ao MDB, partido pelo qual foi reeleito deputado em 1996, tornando-se líder da sigla na Câmara. Em 1969, devido a promulgação do ato Institucional 5, Mário Covas foi destituído do seu cargo e teve seus direitos políticos suspensos por dez nãos. Durante o período de cassação, trabalhou com engenheiro, mas continuou seus contatos com a vida política do país.

Retomando seus direitos politicos, foi eleito diretor regional do MDB e, no mesmo ano, com a extinção do bipartidarismo, filiou-se ao PMDB, sendo eleito deputado federal, em 1982, com mais de 300 mil votos. Indicado pelo governador Franco Montoro, assumiu a prefeitura de São Paulo em 1983, onde ficou até 1985.

Em 1986 foi eleito senador com 7,7 milhões de voto, na maior votação da história do Brasil na época, tornando-se líder do seu partido na Assembleia Nacional Constituinte. Em junho de 1988, foi um dos fundadores do PSDB (partido da Social Democracia Brasileira), e meses depois, foi seu presidente nacional.

 

Em 1994 foi eleito governador do Estado com 8,6 milhões de votos, sendo reeleito em 1998.

Teve muitos problemas de saúde;  em 1986 sofreu um infarto, o que resultou numa angioplastia e duas pontes de safena e uma mamária um ano de pois. Em 1993 retirou a vesícula, e nos anos seguintes foi internado duas vezes por causa de crises de erisipela nas pernas.

Em 1998 retirou um tumor benigno na próstata, mas foi detectado um câncer na bexiga, que foi retirado; e iniciou a quimioterapia. Dois anos depois descobriu-se outro tumor, entre a bexiga e o reto. No dia 24 de outubro, Covas adiou sua internação para o dia 29, data da eleição para a Prefeitura de São Paulo, para confirmar publicamente seu voto em marta Suplicy (PT), no segundo turno.

 

Fonte: Documentos da Câmara